Início » Como surgiu o dinheiro?

Como surgiu o dinheiro?

  • por

Até a forma que conhecemos hoje, o dinheiro passou por muitas mudanças.No início da civilização, o comércio baseava-se na troca, ou seja, na troca de mercadorias.

Somente no século 7 aC apareceram as primeiras moedas de ouro e prata

Estas peças foram inicialmente feitas à mão e muito rudimentares, mas já reflectiam a mentalidade e cultura do povo da época.

Na Idade Média, surgiu o costume de guardar moedas em ourives e era emitido um recibo como garantia. Era muito parecido com hoje, quando depositamos dinheiro no banco e usamos o cartão para resgatar.

Aos poucos, esses vouchers foram usados ​​para pagamentos, circularam no comércio e resultaram em papel-moeda.

Com o advento dos bancos, essas instituições passaram a atuar como emissoras de moedas de papel, também denominadas de bilhetes bancários.

No Brasil, os primeiros recibos foram emitidos pelo Banco do Brasil em 1810 e preenchidos à mão como cheques.

Gradualmente, como com as moedas, os governos passaram a controlar a emissão de notas bancárias para prevenir a contrafação e garantir a solvência.

Quase todos os países têm seus bancos centrais, que são responsáveis ​​pela emissão do dinheiro (notas e moedas).

A produção de moedas contemporâneas segue um rígido padrão de impressão, o que dá ao produto final uma grande margem de segurança e condições de durabilidade.

As principais unidades monetárias usam a base centesimal, ou seja, H. a divisão monetária da unidade é igual a um centésimo de seu valor. No caso do Brasil, temos o centavo de real.

No mundo moderno, além do dinheiro impresso em contas regulamentadas pelo governo, o comércio também usa outros mecanismos financeiros de intenção de pagamento, como cheques e pagamentos.

Cartão de Crédito / Débito. Essas tecnologias são projetadas para tornar as transações mais convenientes e seguras.

dinheiro

dinheiro

No Brasil

A Casa da Moeda, instituição brasileira responsável pela impressão de dinheiro, foi fundada em 1694 por Dom Pedro II, Rei de Portugal, para atender à demanda por moedas no Brasil colonial.

Além do dinheiro, a estatal agora também produz outros produtos de segurança, como passaportes com chip e selos fiscais.

No entanto, a produção de novas notas é gerida pelo Ministério das Finanças através do banco central do Brasil regulamentado, visto que a circulação de dinheiro dentro de um país deve ser baseada na quantidade de serviços e produtos oferecidos pela economia nacional.

Por isso, um país não pode tentar contornar uma crise colocando mais dinheiro em circulação. Nesse caso, o mercado tende a aumentar o preço das mercadorias, o que leva à inflação.

Assim, a produção de notas deve-se principalmente à substituição de notas antigas e não ao aumento da quantidade de dinheiro que circula no país.

No entanto, a circulação anual de moedas é impressionante. Em 2013, foram cédulas no valor de R $ 3,1 bilhões e moedas no valor de R $ 2,3 bilhões.

Real

A moeda brasileira ganhou vários nomes: arroz, Cruzeiro, Cruzeiro Novo, Cruzado, Cruzado Novo, Cruzeiro Real e em 1994 foi introduzida a moeda atual: o real. Vários modelos, tamanhos e dispositivos de segurança foram usados ​​na fabricação de notas.

Diversas personalidades foram homenageadas antes da moeda atual. Pedro Álvares Cabral, o marechal Deodoro da Fonseca, Tiradentes, Santos Dumont e o ex-presidente Juscelino Kubitschek foram algumas das personalidades que modelaram as notas.

O desenho atual do dinheiro brasileiro não homenageia o povo

De um lado da nota está uma imagem simbólica da república; por outro lado animais da fauna brasileira – cada nota com um animal diferente.

  • 2 reais – Tartaruga-de-pente
  • 5 reais – Garça
  • 10 reais – Arara
  • 20 reais – Mico-leão-dourado
  • 50 reais – Onça-pintada
  • 100 reais – Peixe garoupa

Já as moedas de metal mostram imagens de importantes personalidades da cultura brasileira.

  • 1 centavo – Pedro Álvares Cabral
  • 5 centavos – Joaquim José da Silva Xavier (Tiradentes)
  • 10 centavos – Dom Pedro I
  • 25 centavos – Manuel Deodoro da Fonseca
  • 50 centavos – José Maria da Silva Paranhos Júnior (Barão do Rio Branco)
  • 1 real – Efígie da República

Cada moeda, seja de metal ou papel, agora tem tamanhos e cores diferentes. Os elementos de segurança usados ​​incluem marcas d’água, impressões em relevo e microimpressões.

Marcações: